13 de abril de 2015

Aulas de história como terapia


O fotógrafo Beto Novaes, do jornal O Estado de Minas, foi agredido em Belo Horizonte quando trabalhava , apenas por  se parecer fisicamente com o ex-presidente Lula.

Ele levou chutes e recebeu ameaças quando parou para dar autógrafo para uma senhora que via nele a figura do ex-presidente. Esta foi apenas uma prova do radicalismo imbecil de muitos que foram à praça protestar com espírito  de skinhead.

Em todo o Brasil, onde  no protesto de domingo havia metade público  registrado na manifestação de março , houve exacerbação, do ódio e do preconceito. Em Maringá teve até um grupo separatista, que defende a criação do  Brasil-Sul, afastando o resto do país do Nordeste.
Para esse pessoal talvez não haja remédio, mas uma boa dose de leitura de livros de História do Brasil possa fazer um bem danado.

Nenhum comentário: