31 de outubro de 2016

O discurso da reafirmação



Ulisses Maia esteve hoje de manhã na CBN junto com seu vice e reafirmou com muita ênfase as principais propostas que fez na campanha. Confirmou que fará eleições diretas para diretores de escolas municipais e CMEIs; que se o Gaeco levantar que realmente houve fraude na licitação do transporte coletivo urbano, cancelará o contrato firmado com a empresa e fará nova concorrência pública; reafirmou sua intenção de construir, em caráter emergencial 10 CMEIs para zerar a chamada fila das creches e que fará um esforço grande, já no início da gestão, para zerar as filas de consultas especializadas no SUS. Embora não tenha enfatizado isso na campanha, assegurou que fará uma avaliação criteriosa das distorções gritantes que existe no IPTU para corrigi-las.
Uma das coisas que tenho certeza que os servidores da educação que ouviram gostaram muito, foi a seguinte afirmação: “Acabou aquele negócio de diretor de escola ser nomeado por critérios políticos para no período eleitoral deixar as escolas para fazer campanha, distribuir santinhos do candidato oficial”.
Ulisses se disse receptivo aos apoios oferecidos pelo grupo político que perdeu as eleições, mas não deixou de ressaltar, quando perguntado sobre as baixarias da campanha, que ele foi quem sofreu baixaria desde o primeiro dia da campanha de segundo turno. Não se furtou a confirmar as denúncias que fez sobre a tentativa do adversário enganar a população com obras que não estavam sendo realizadas, apenas ostentavam placas e tapumes . Enfim, o prefeito eleito se mostrou muito firme e convicto das responsabilidades que o eleitorado lhe confiou. Que assim seja.

26 de outubro de 2016

Governo mente para o povo

     . Conceição Lemes
Se  a  PEC  241 for aprovada, o governo projeta uma queda de 7,5 pontos percentuais nas despesas públicas frente ao PIB em 2026.
Tomando por base o PIB Brasil de 2015 (R$ 5,9 trilhões ), esses 7,5 pontos percentuais representariam uma diminuição de cerca de R$ 443 bilhões (em valores atuais).
Ou seja, a própria tabela de Meirelles mostra que: 1) que críticos da PEC 241 têm razão; 2) o governo Temer falta com a verdade ao povo brasileiro.
Já a banqueiros e rentistas,  Meirelles não tem como mentir. E, ainda, oferece para o banquete dos ricos, na bandeja, a cabeça do povo brasileiro.
Agravante. Em 2026, as despesas públicas terão retroagido a níveis inferiores anteriores a 2008.
Isso significa que tudo o que foi conquistado nos últimos anos o governo Temer e seus aliados jogarão no lixo.
Além disso, teremos uma piora dos serviços oferecidos pelo Estado, especialmente nas áreas de Educação e Saúde.

Por falar em salários atrasados, Silvio...


Silvio Barros II insiste que pegou a prefeitura de Maringá quebrada, com salários atrasados. Seria honesto da parte dele se ele dissesse, por exemplo, que quem pegou a prefeitura quebrada foi o prefeito José Cláudio e o Dr. Said no seu segundo mandato. O antecessor de Said foi Ricardo Barros, que por atrasar o salário dos servidores teve que fugir pela janela do gabinete no seu último dia de mandato. Ao ganhar a rua, Ricardo entrou na belina do vice-prefeito Willy Taguchi , e como diria Pinga Fogo, vazou na massaroba.

Adeus, grande mestre!



O professor Geraldo Altoé, que faleceu hoje,  foi um grande mestre, desses que a gente nunca esquece. Fui aluno dele no curso de Estudos Sociais da UEM. Foi quando aprendi sobre a verdadeira importância da disciplina de História, que deixou de ser decorativa pra mim a partir dos seus ensinamentos de historiografia. Suas aulas eram prazerosas, pela simples razão de que o professor Altoé tinha verdadeira paixão pelo magistério e mostrava sempre ser um vocacionado; nasceu para ensinar, para transmitir conteúdos com muita sabedoria.

Estava em Maringá desde 1953, lecionando nos principais colégios da cidade, como o Gastão Vidigal, uma das grandes referência do ensino médio do Estado. Capixaba de Venda Nova, o professor Geraldo Altoé era pai de um dos mais talentosos cartunistas que apareceu por essas bandas, o grande amigo Kaltoé. Sem dúvida que o pioneiro da educação em Maringá deixa muita saudade.

25 de outubro de 2016

Aleluia, fui pesquisado!



Fui pesquisado hoje pela primeira vez na vida. Nunca um instituto de pesquisa me abordou em período eleitoral. Mas hoje foi um grande dia pra mim. Estava eu na casa de uma cunhada no Jardim Industrial quando ao sair, me parou uma moça com uma prancheta e o crachá do Data Vox.
Ela fez inicialmente as perguntas de praxe: idade, faixa de renda, nível de instrução, essas coisas. Em seguida perguntou em quem eu votava nesse segundo turno."Voto no 12", disse. Meio incomodada, talvez porque parecia ser sua chefe que estava por perto, ela insistiu: "O senhor admitiria votar no 11?". Eu disse: "Em hipótese nenhuma". Recorrendo a uma lista de perguntas, emendou essa: "O que o senhor achou das duas administrações do Silvio, foram boas?". Respondi que não. Percebi que a jovem estava incomodada com as respostas. Mas continuava forçando a barra para eu responder alguma coisa positiva sobre o candidato da coligação A Mudança que Dá Certo .
Ao final, ela quis saber meu nome, meu endereço e meu telefone. "Sem problemas, dou meu primeiro nome e o telefone, pode ser?" , indaguei. Ela então anotou e seguiu seu caminho se desculpando: "Olha, senhor, eu estou fazendo as perguntas que me mandaram fazer, estou nada mais nada menos do que fazendo meu trabalho, ganhando meu dinheiro". Eu também me desculpei com ela pela minha sinceridade que a desapontara e desejei-lhe um bom trabalho.

24 de outubro de 2016

Livre pensar...


Acho , sinceramente, que não se pode desqualificar a política, dizendo que ela é coisa suja, porque tudo é política, nada se faz em termos de políticas públicas fora da política partidária. Não há regime melhor que o democrático , o que há é político ruim dentro de qualquer democracia. Criminalizar um partido especifico, ignorando que quase todos são iguais nas suas práticas, é disseminar o ódio.
O que está acontecendo em Maringá neste segundo turno é uma afronta à inteligência do eleitor. Pessoas de bem e minimamente informadas, de repente são tomadas de perplexidade diante da demonização de um determinado partido, colocando suas lideranças na condição de verdadeiros párias . E tudo pra que? Para atingir o adversário do momento, que diga-se de passagem, nenhuma ligação tem com a sigla covardemente atacada.
Acompanho eleições há muitos anos em Maringá como jornalista. Já vi coisas do arco da velha , mas nada se equipara ao espetáculo de cinismo que o grupo político que domina a administração pública na cidade há 12 anos vem protagonizando. O debate de domingo a noite na RIC expôs de maneira muito clara a face até então oculta da baixaria que se vê na televisão, se ouve no rádio e se lê nos panfletos abjetos que emporcalham a cidade. Simples assim.

Haja contradição


Acusado de envolvimento no escândalo de desvio de dinheiro da construção de escolas no Estado, o presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Ademar Troiano (PSDB) foi quem abriu nesta segunda-feira em Curitiba um encontro para discutir as “Dez Medidas contra a Corrupção” propostas pelo Ministério Público. Eis aí o cúmulo da contradição.

O valioso tempo dos maduros


         .   de Mário de Andrade:

“Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas.
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo
que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis,
para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.
Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.
As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa.
Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade, quero caminhar perto de coisas e pessoas de verdade.
O essencial faz a vida valer a pena.
E para mim, basta o essencial!"

       

SILVIO X ULISSES AGORA A NOITE NA RIC TV

UM DEBATE QUENTE. ENFIM, SILVIO SE DESVESTIU DA CAPA DE BOM MOÇO
Acabou agora o debate da RIC entre os candidatos Ulisses Maia e Silvio Barros II. Foi um debate quente, acalorado como tinha que ser. Uma coisa ficou clara: Silvio assinou embaixo em todas as peças de baixarias mostradas na TV e em impressos que foram entregues de casa em casa na cidade toda.Ele insistiu na criminalização do PT, ao mesmo tempo em que reconhecia ter sido seus dois mandatos de prefeito ajudado, e muito, pelos governos petistas de Lula e Dilma, que liberaram muito dinheiro para Maringá. Cuspiu de novo no prato que comeu.
Parecia que Silvio estava com a faca entre os dentes, mas era uma forma de contra-atacar, certamente orientado pelo irmão de que a melhor defesa é sempre o ataque. Mas apesar de tentar demonstrar segurança e rapidez de raciocínio, não conseguiu convencer a ninguém que as obras do terminal estão em andamento; também teve dificuldades para desmentir que o Parque Industrial lançado por ele consumiu cerca de R$ 150 milhões até agora e o espaço está inviabilizado para a instalação de empresas pela falta de um item bem básico - a energia elétrica.
Novamente, voltou a dizer que pegou uma prefeitura quebrada, mas não teve a dignidade de lembrar que quem pegou a Prefeitura quebrada , saqueada mesmo, foi o saudoso Zé Claudio. Também não teve a humildade de reconhecer que foi beneficiado pelo governo petista com a liberação de uma montanha de dinheiro para fazer o Contorno Norte, que fosse o Brasil um país sério, hoje ele estaria tendo problemas com os mais de R$ 400 milhões de custos de uma obra inicialmente orçada em R$ 156 milhões.
Silvio insiste em se fazer de vítima de ataques, quando é a campanha dele que lança mão de expedientes condenáveis para atingir o adversário. Pobre Gepetto, estaria se sentindo por baixo, ao constatar que enfim, alguém conseguiu desbancar o seu Pinóquio.

22 de outubro de 2016

Um talento desperdiçado



Até acredito que Silvio Barros II seja o homem honesto que disse ser , quase às lagrimas, nos programas eleitorais de ontem e de hoje. E que os processos e condenações que ostenta, sejam fruto das suas assessorias ruins e de más companhias. É possível que seja fruto também, das ordens do seu tutor político, que ele cumpre cegamente desde que assumiu a Prefeitura de Mariná em janeiro de 2005.
O que me deixa pasmo, sem entender essa dubiedade de comportamento, é a forma como Silvio se comporta na campanha, fora do vídeo. E essa sua falta de coragem, de dizer ele mesmo, os absurdos que dizem do seu adversário do momento o narrador dos offs e a apresentadora dos textos que aparecem nas inserções da coligação "A mudança que dá certo".
O redator deve ser, certamente, o mesmo que escreve os absurdos que se vê no tabloide Hoje Notícias, que mesmo sendo um jornal de circulação restrita , é distribuído gratuitamente em toda a cidade.
Então, como pode uma pessoa de conduta tão ilibada se prestar a práticas de tão baixo nível? É o desespero ante a perspectiva de derrota? Se for, isso não cabe na biografia de alguém que se diz tão probo e que faz tanto proselitismo com a ética e a moral pública.
Ao assistir o programa eleitoral desse sábado na hora do almoço, fiquei convencido de uma coisa: o Silvio é um político de talento extraordinário diante de uma câmera. Se eu fosse diretor de teledramaturgia da Globo, não pensaria duas vezes para contratá-lo.

Como será que Lula entrará para a história?



Às vezes fico pensando: como será que o Lula vai entrar para a história? Entrará como Getúlio, que comandou uma ditadura sangrenta por 15 anos, depois ele mesmo foi o personagem central da ressurreição da democracia? Acusado de corrupção no mandato que o povo lhe confiou pelo voto, decidiu pelo suicídio , deixando a vida para entrar na história. E entrou como pai dos pobres.
E Lula, como será visto daqui a décadas? Será visto como o político que trouxe a esperança ao povo e depois saiu da cena enxovalhado, debaixo de uma sucessiva chuva de acusações de improbidade?
Ou entrará para a história como o presidente que mais avanços sociais trouxe ao país em toda a sua história, tirando o Brasil do mapa da fome e implementando políticas públicas de redução das desigualdades sociais? Meio que à moda Getúlio Vargas, Luis Inácio Lula da Silva chegou a ser classificado de pai dos pobres, mas por outro lado, de mãe dos ricos.
A história não se faz, como diria Reginaldo Dias, no calor da hora. É a história que julgará o líder metalúrgico que virou presidente e a mais expressiva liderança brasileira do final do século XX e início do século XXI. Talvez, não estarei vivo para ver o resultado. Nem eu e nem a esmagadora maioria da nossa geração. Mas assim como a história fez lá sua justiça ao estanceiro Vargas , certamente fará também ao metalúrgico Lula.

21 de outubro de 2016

Um lobo na pele de cordeiro


Silvio está na defensiva, insistindo que ele não é o que falam dele e que essa carapuça não lhe serve. Fala mansa, chamando a câmera de minha nega, tenta passar a imagem de um homem cordial, incapaz de atacar alguém. Mas por trás das câmeras, arma o bote e vai para o ataque, não ele mesmo falando do adversário, mas por meio de textos que a ex-apresentadora da RPC, Elaine Guarnieri, lê com sabor de vingança.
Depois de tentar desqualificar Ulisses usando o PT e petistas do maior respeito como bodes expiatórios, agora Silvio faz uma viagem no tempo e resgata uma denúncia do Ministério Público que o próprio Ministério Público havia arquivado por falta de provas, para jogar lama no adversário, deixando à mostra a extensa relação de processos e condenações que ele Silvio tem, na primeira e na segunda instância.
Era de se esperar que na medida em que a eleição se aproximasse e as sondagens internas mostrassem uma situação que o capo Ricardo Barros jamais imaginaria, o bicho iria pegar e a campanha despencaria para um nível muito próximo do esgoto.
Domingo vai ter debate na RIC, com perspectiva de grande audiência. A prevalecer as regras anteriores, de um debate sem amarras, Ulisses terá a oportunidade de, frente a frente, mostrar para a população quem é quem nessa confrontação de biografias.

20 de outubro de 2016

Silvio alimenta o ódio em Maringá


O nível da campanha vem baixando a cada dia. Depois que o TRE cassou a liminar de primeira instância, que mandava Silvio tirar do ar as inserções em que vinculava a candidatura Ulisses ao PT, parece que voltaram com a corda toda. Estão tratando como marginais pessoas de bem como Humberto Henrique, Carlos Mariuci, Iraídes Baptistone e Mário Verri. Todos estão inclusive fora da campanha no segundo turno , mas estão apanhando como se fossem eles os adversários dos antiéticos irmãos Silvio e Ricardo Barros.
Não dá pra entender como pode um cidadão que se diz evangélico, cristão e que diante das câmeras prega a paz e a fraternidade, mas nos bastidores age com tanta maldade. Usa pessoas que não tem nada a ver com a campanha do adversário neste segundo turno, para desqualificar o adversário direto na disputa, com isso, alimentando a cultura do ódio.
Pelo que fiquei sabendo, vem coisas muito piores por aí. Na próxima semana, reta final do embate eleitoral há a promessa de baixarias que até Deus duvida. O desespero é grande e está fazendo a coligação "Mudança que dá certo" jogar a campanha desse ano a um nível muito próximo do esgoto.

19 de outubro de 2016

Pelas barbas do profeta!!!


Silvio Barros II, que convive com um verdadeiro batalhão de CCs (foi duas vezes prefeito e continua com ascendência sobre seu ex-vice, que não manda tanto na administração como possa imaginar nossa vã filosofia) agora anuncia que cortará 216 dos 515 cargos comissionados existentes atualmente na Prefeitura de Maringá. Ulisses Maia diz que cortará 365 e economizará R$ 80 milhões em quatro anos. Quanto economizará com o corte de menos da metade o candidato da coligação “Maringá que dá Certo” não diz, mas informa que com o dinheiro economizado comprará viaturas para emprestar para a Policia Militar.

Como assim? O que o próximo prefeito tem que fazer é exigir do governo do Estado mais segurança, melhor aparelhamento da PM e da Polícia Civil. Mas daí até Maringá comprar viaturas para doar ao  Estado vai uma diferença brutal. Deveria ser o contrário, o Estado é que teria, teoricamente, o dever de  repassar para o município viaturas que reforçariam a Guarda Municipal e sua capacidade de auxiliar no policiamento ostensivo. A lógica aí está invertida, Silvio. Como diria Silvio Luis: “Pelas barbas do Profeta!!!”.

O diabo da vez



        . Walter Fernandes
Antigamente tudo que era ruim era culpa do diabo. E Lúcifer, coitado, era quem pagava o pato. Agora o pato da vez é o "comunismo". Qualquer um que faça alguma coisa idiota ou que contrarie interesses passou a ser comunista. Se você quer desqualificar alguém, e não tem argumento, chame-o de comunista que tá tudo bem. Quando vejo críticos chamando professores ou outros funcionários públicos de comunistas porque estão fazendo greve, sinto-me envergonhado. O argumento é o mais imbecil possível, pois a paralização de atividade como forma de persuasão à negociação coletiva é uma das mais típicas e legítimas manifestações do regime capitalista, aliás, no Brasil, que como sabemos é um país capitalista que vive num regime democrático de direito, a greve é REGULADA EM LEI - Lei 7783/89. É o reavivamento da mediocridade argumentativa, e quem paga o pato é Marx.

. Walter Fernandes é advogado trabalhista do SINCOMAR (Sindicato dos Comerciários de Maringá)

17 de outubro de 2016

Alguém acredita?

Silvio anuncia agora no seu programa de TV que vai reduzir a mais da metade os CCs da Prefeitura de Maringá , que o condomínio vem mantendo desde que assumiu o comando da cidade há 12 anos. Alguém acredita nisso?

15 de outubro de 2016

NÍVEL DE ESGOTO


O esgoto que já escorria pelas redes sociais e pelas ruas de Maringá na calada da noite agora está nas inserções da TV. Sem saber como bater diretamente no candidato adversário, a coordenação da campanha do candidato Silvio Barros II decidiu vincular Ulisses ao PT, como se até dia desses Ricardo Barros não estivesse do lado da presidente Dilma como seu vice-líder na Cãmara, assim como tinha sido vice-líder de Lula. Mais do que isso: enquanto prefeito, Silvio se gabava de Maringá ter sido uma das cidades que mais recebeu recursos do governo federal, justamente o governo petista.
O mais grave de toda essa baixaria, além de cuspirem no prato que comeram , é o ataque impiedoso a cidadãos respeitáveis e acima de qualquer suspeita, como Humberto Henrique, Mariuci e Mário Verri . Custo a acreditar que o PT não vá pedir direito de resposta e que os vereadores Humberto, Mário e Mariuci (eleito no último dia 2) deixem isso barato. Também não acredito que o próprio Ulisses maia vá se calar diante de absurdos como esse. i

11 de outubro de 2016

Silvio repete a mentira do primeiro turno


No primeiro turno o candidato Silvio Barros disse várias vezes no programa eleitoral e repetiu nos debates, que pegou do PT em 2005 uma Prefeitura  quebrada, com salários atrasados, etc. Estranhamento o PT não respondeu. Acho que não instrumentalizaram o Humberto, que na época não fez parte da administração petista, para que ele desse o troco.  Agora no início da propaganda do segundo turno, Silvio volta a atacar , acrescentando outras inverdades à mentira já dita. Dessa vez ele fala de boca cheia que asfaltou todos os bairros do perímetro urbano de Maringá e pinta um quadro de terra arrasada, herdada do governo de José Cláudio e João Ivo Caleffi.

João Ivo, claro, não teria espaço para defender a si e ao Partido dos Trabalhadores não fosse via Humberto Henrique no horário eleitoral. Muito menos terá espaço agora, o que dá a Silvio a possibilidade de exaltar sua primeira gestão, como a que chegou para salvar Maringá do caos econômico. Conheço mais ou menos a situação deixada por João Ivo, eleito vice-prefeito de Zé Claudio assumiu o cargo de prefeito com o falecimento do titular.

Para não cometer nenhuma impropriedade, decidi ligar para o João e me informar melhor sobre o quadro que ele deixou ao entregar o comando da cidade a Silvio Barros em primeiro de janeiro de 2005. A situação era essa, segundo João Ivo que, faço questão de ressaltar, saiu tão pobre da Prefeitura quanto era quanto quando entrou:

“Deixamos o salário dos servidores em dia, pagando o 13o. adiantado. Inclusive dei aumento salarial. Deixei as contas da Prefeitura em dia , com dinheiro em caixa, sem fazer nenhuma dívida. Tudo o que fizemos de obras e foram muitas, foi com recursos próprios. Pagamos muitas dívidas do passado, sem fazer dívida nova. Pegamos o orçamento do município em R$ 180 milhões e entregamos  em 2005 em R$ 340 milhões, sem aumentar impostos , só cobrando dos ricos que não pagavam há muito tempo. Asfaltei em 2004 sete bairros com dinheiro do Paraná Urbano, do Requião. Os bairros asfaltados: Tarumã I, Batel , Oasis, Solo Rico em Iguatemi, terminamos  Alvorada III, asfaltamos o São Francisco, o  Jardim Continental e fizemos galerias pluviais no Santa Terezinha em Iguatemi , além de asfaltar algumas ruas daquele distrito”.

Em nome da verdade histórica, não posso deixar de lembrar que Zé Cláudio e João Ivo, eles sim, pegaram uma prefeitura financeiramente arrasada pelo esquema de corrupção Jairo-Paolichi.

Acho que o Silvio Barros II tem todo o direito de criticar seus antecessores, mas o que não tem direito, nem ele e nem candidato nenhum, é mentir desse jeito. Que ele faça suas propostas mirabolantes, mas que pelo menos respeite a verdade histórica. Tenho dito.

10 de outubro de 2016

Eremildo, o idiota




           . Da coluna de Elio Gaspari, hoje na Folha de São Paulo:
"Eremildo é um idiota e nunca poderá se aposentar, pois jamais trabalhou. Defensor da reforma da Previdência, ele vai a Brasília para visitar o triunvirato que comanda as discussões para a reforma da Previdência.
Conversará com o presidente Michel Temer, com o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, e com o secretário de governo, Geddel Vieira Lima. Todos defendem a necessária elevação para 65 anos da idade mínima dos trabalhadores em busca da aposentadoria.
Temer aposentou-se em 1996, aos 55 anos. Em maio passado, ele recebeu R$ 30.613 como procurador inativo do governo de São Paulo. Como presidente ativo da República, recebe R$ 27.841.
O doutor Geddel aposentou-se em 2011, aos 51 anos. Recebe R$ 20.354 como inativo e R$ 30.934 como ministro. Eliseu Padilha aposentou-se aos 53 anos e está na base da pirâmide dos aposentados do Planalto, com R$ 19.389 mensais.
Eremildo pedirá aos triúnviros da reforma da Previdência dos outros que devolvam à Viúva o que ela lhes paga como servidores aposentados.
PS. E a imprensa faz escândalo com a aposentadoria de Dilma Rousseff, aos 68 anos, 40 de contribuição e proventos de R$ 5 mil!!!!"

9 de outubro de 2016

Eles subestimam a inteligência do eleitor de Maringá



Quem passou pela Mandacaru e 19 de Dezembro nesse domingo   viu que as duas avenidas estão recebendo um “trato” nesse domingo. Próximo à 9a. SDP, estão até aplicando lama asfáltica onde há pouco tempo foi recapeado . Mais do que isso: pintam faixas, cuidam do canteiro central e um carro pipa passou por volta das 9h jogando água nas palmeiras imperiais plantadas entre a Av Colombo e a Praça do Peladão. Aquelas palmeiras substituem as árvores frondosas que arrancaram, mas a água que recebiam era apenas nas folhas secas , pois o caminhão sequer parava para que que o servidor molhasse o chão.

Mas isso não era importante, porque o importante a essa altura do campeonato é mostrar serviço. Afinal o segundo turno vem aí e é preciso impressionar o eleitor, cuja inteligência é subestimada a todo instante.

7 de outubro de 2016

NOTA DE FALECIMENTO


O INSTITUTO DOS ADVOGADOS BRASILEIROS tem o doloroso dever de comunicar que foi mortalmente ferida e sepultada hoje (5/10), data do seu 28º aniversário, a Constituição da República Federativa do Brasil.

Seu precoce falecimento se deu em virtude de decisão proferida por seu Guardião, o Supremo Tribunal Federal, que negou validade à garantia individual da presunção de inocência.

Os advogados estão de luto, assim como estão os centenas de milhares de presos miseráveis e seus familiares, a quem o IAB apresenta suas mais sinceras condolências.

                                                                                                                              Rio de Janeiro, 5 de outubro de 2016
Técio Lins e Silva

Presidente nacional do IAB

UM SÉCULO DO SENHOR DIRETAS




OS 100 ANOS DO DR. ULISSES...NAQUELA MESA ESTÁ FALTANDO ELE, A SAUDADE DELA ESTÁ DOENDO EM TODOS NÓS

“Em cinco de outubro de 1988, a nação que vivia desacolhida dentro do próprio país conquistou um bote para remar seu anseio por pátria e cidadania.
Com as virtudes e defeitos sabidos, a Constituição Cidadã, promulgada há 28 anos, esticou o pontão dos direitos sociais --no que tange à lei-- ao ponto mais avançado permitido pela correlação de forças que sucedeu à ditadura.
Conduziu-a um impulso gigantesco de ondas políticas sobrepostas.
A resistência heróica à ditadura, em primeiro lugar.
Mas também os levantes operários surpreendentes registrados no ABC paulista, nos anos 70/80”.
O comentário do jornalista Saul Leblon (Carta Maior) é a propósito dos 100 que faria Ulysses Guimarães se vivo estivesse.
A Constituinte de 1987 não legou ao Brasil em 1988 a Constituição perfeita, mas a Constituição possível que, de certa forma tornou-se luz, “ainda que de lamparina , na noite dos desgraçados”, segundo profetizaria o Senhor Diretas.
Leblon vê agora ameaças claras à lamparina, pois “a PEC do golpe viola a Carta de 88 que sempre foi vista pela aduana dos abastados como um bote apinhadO de gente perigosa”.
Um dos pontos altos da Constituição Cidadã é o instituto da seguridade social, que agora tentam detonar com o falso discurso do déficit da Previdência. Se vivo fosse, Dr. Ulisses estaria externando toda a sua indignação com essa operação desmonte da matriz dos que chamaria “direitos sociais civilizatórios”.
Por tudo isso é que a gente vê agora a falta que faz Dr. Ulysses. Não só ele, mas Leonel Brizola, Miguel Arraes , Darcy Ribeiro, Franco Montoro e até ilustres figuras da direita civilizada, como Teotônio Vilela e Josafá Marinho.
Infeliz e desgraçadamente, não se faz mais lideranças políticas como no passado recente, passado que produziu também Mário Covas, José Richa (que estaria envergonhado do filho Beto), Alencar Furtado, Renato Celidônio e Itamar Franco. A safra atual é de uma mediocridade de assustar.

6 de outubro de 2016

Será?





Em 2012, quando essa fala foi feita, Quinteiro acabou optando no segundo turno pelo Golias de duas cabeças. Sua coragem, dizia, vem do céu. Será que ele novamente optará pelos poderosos locais que criticava ou, enfim, usará a coragem que vem do céu para ajudar a cidade romper o ciclo do Golias de duas cabeças? Veremos.

4 de outubro de 2016

Nada de cabide



Por Luiz Gonzaga:
Independente do momento, nunca concordei com a existência de cargos comissionados, exceto em raríssimas exceções quando eventualmente e reforço eventualmente não haja este perfil na prefeitura (concursado) ou nas diferentes instâncias dos poderes públicos.
Entendo também, que a legislação é extremamente falha, ao permitir essa prática absurda e ao mesmo instituir uma lei de responsabilidade fiscal (grande farsa).
Em síntese, historicamente a maioria das pessoas que ocupam cargos comissionados, os ocupam em função de barganhas políticas imorais e às vezes ilícitas e quase sempre, não atendem os critérios técnicos mínimos necessários para a função e se tornam um grande ônus ao cidadão contribuinte.
Penso que o único habilitado para mudar definitivamente esta prática vergonhosa e imoral, será o próprio eleitor consciente. Por isto sugiro que os candidatos assumam, publicamente no segundo turno, uma proposta de “Cabide Zero” ou excepcionalmente 10% do atual, quando não for possível buscar em outras instancias públicas ou em casos de notório saber. Chega de errar! Este foi meu slogan de campanha em 2014.

 ________
(*) Luiz Gonzaga é técnico em Agropecuária, zootecnista e professor universitário e maringaense por adoção e foi candidato a Vereador em 2008 e 2012 e a estadual em 2014

1 de outubro de 2016

A esquerda sem rumo



“Quem não aprende com a História está condenado a repetir seus erros, e esse é o mais eficiente caminho para o suicídio político.
Reporto-me aos erros crassos, táticos e estratégicos das esquerdas brasileiras, erros que vêm, desde lá atrás, e em nossos dias mais do que nunca, alimentando as recidivas da direita autoritária, antidemocrática por natureza e programação genética. O Estado autoritário de hoje, fundado numa ‘ditadura constitucional’ que instalou a exceção jurídica e a ‘lei em movimento’, não é fruto do acaso e precisamos avaliar quanto contribuímos para sua eclosão e agressiva sobrevivência.
No fundo da seqüência de erros está a dificuldade das esquerdas orgânicas de compreender corretamente o processo histórico. Sem visão estratégica, muitas vezes apoiados em base doutrinária inconsistente, repetimos trilhas já caminhadas e que levaram a fracassos rotundos”.

·        Roberto Amaral Cientista político, ex-ministro da Ciência e Tecnologia e ex-presidente do PSB. Autor de Socialismo, morte e ressurreição .