5 de dezembro de 2010

Queda de árvores e a destinação dos resultados de um censo ecológico

Muitas pessoas chegam ao desespero pela demora no corte de árvores que ameaçam suas casas. Em Maringá, a fila de espera atinge absurdos 8 mil. Volta e meia, registro de grandes sustos, com árvores enormes caindo a qualquer ameaça de tempestade.
Esse é um problema que já era para estar solucionado, caso houvesse compromisso da "administração cidadã" com a população e, pelo menos, um mínimo de vontade política.
Ocorre que já se vão longos quatro anos que o CESUMAR fez um censo ecológico, mapeando as árvores comprometidas e que precisavam ser substituída urgentemente.Pelo jeito, o relatório ofertado à Prefeitura foi parar na lata de lixo.

Um comentário:

Anônimo disse...

Ah, Messias, pq vc não escreve aí que quando o Caleffi deixou a prefeitura, o número de´pedidos de retiradas de arvores era 4 mil.
Por essa e outras que ninguém comenta nada em seu blog......