Pular para o conteúdo principal

Carlos disse:

"Estive lá no ato,e garanto a quem quiser acreditar,ou não,que a única bebida que rolou entre o pessoal foi a água que passarinho bebe.

Felizmente,as ocasiões como a de hoje,contemplam todos:amorais,imorais,cachaceiros e santos do pau duro.Mas,se fosse fechada aos imorais,todos estaríamos banidos,pois a moralidade é uma criação de determinada classe para manter seu poder perante os descamisados.

Enfim,o foco do protesto,ao meu ver - tal como a análise do blog - pareceu um pouco deslocada,descolocada.Em alguns momentos pareceu uma simples reivindicação estudantil.

Todavia,a estrutura da organização do evento é precária,elaborada pela união de alguns orgãos,entidades e instituíções.

Entretanto,o bacan foi o poder de mibilização dos estudantes,entidades e organismos contra os desmandos do desgoverno "Silvinho".

O recado foi dado,e se necessário - e vai ser - estaremos à postos em frente ao paço municipal,esfregando as mazelas da cidade na cara do prefeito".

Carlos Rico

PP (que quer dizer pois,pois): O comentário do Carlos significa dizer que apesar do desvio de foco e da organização precária do evento, que nem carro de som tinha,a semente da insatisfação foi semeada. É bem verdade que semeada no solo impermeável do terminal, mas com tal ira cívica que mais esse crime de lesa pátria que a "administração cidadã" quer perpetrar, será combatido em todas as frentes possíveis. Que o espírito de maringaenses combativos como Horácio Racanello e Nadir Cancian digam amém.

Comentários

Marcelo disse…
No ato em si não tinha bebida, mas que os caras pareciam que tavam chapados pareciam.
Anônimo disse…
É claro que mesmo um filhinho-de-papai mimado da UEM e que se acha o dono do mundo, pode se converter num bom cidadão, num bom "protestador e tomador de cachaça" e numa boa pessoa, enfim. Mas é chato mesmo ver que, ao invés de receber a devida punição que a vida lhes reservou ou seja o trabalho arduo do dia a dia, eles foram protegidos por papais e mamães superprotetores e amigos tão irresponsáveis quanto os baderneiros. É um mundo de gente reclamando da impunidade do Brasil participando ativamente para cultivá-la. Temos mesmo o que merecemos.
Estavam de cara cheia sim!
Paula disse…
O protesto foi muito mal organizado, pra começar o Timossi do PSTU que deveria levar o carro de som bebeu demais e deu cano, os estudantes da UEM ficaram bebendo até quase a hora do protesto, isto não é legal, por isso que digo que protesto é coisa para trabalhador, aquele que levanta 6 da manhã pega a marmitinha, pega uma circular lotada e ganha um salário de miséria.
Anônimo disse…
O carro de som não era de responsabilidade do PSTU, muito menos do Timossi (que também não bebeu demais e no mesmo dia, logo depois do ato, participou de reunião comigo). Foi um caminhão de som alugado que não compareceu. Paula, ou quem quer que seja que está por trás desse nome, deixe de covardia e vamos aos fatos. Vamos discutir o monopólio, o alto valor da passagem, vamos discutir política. Não deturpe. Hitler e Stalin fizeram isso e caíram.
Rodrigo Tomazini
PSTU-Sarandi
Anônimo disse…
É bem assim mesmo.
Paula disse…
Nossa Rodrigão, me comparar a Hitler e Stalin e você quem que eu posso comparar...ao bebum Zé Maria...ao corrupto Mancha..mas não, vou compara~lo ao companheiro de cachaça do Timossi, ficam discutindo ideologia de buteko.
Anônimo disse…
Vocês do PSTU são pulgas doentes que vivem do odio e da inveja, vão trabalhar cambada e parar de tomar cachaça o dia todo.

Postagens mais visitadas deste blog

Bolsonaro pisa na bola com o mundo árabe e deixa o agronegócio com a pulga atrás da orelha

O QUE BOLSONARO QUER DE ISRAEL, UMA FÁBRICA DA GLOCK OU OS DRONES ASSASSINOS?

O presidente eleito vive cheio de mesuras para o lado de Israel, mas deixa transparecer um certo ar de provocação ao mundo árabe. O anúncio que fez de levar a embaixada brasileira de Telavive para Jerusalém,  pode criar sérias consequências para o agronegócio brasileiro, que tem nos países árabes seus grandes compradores, principalmente de  frangos e derivados.

Os empresários catarinenses desse setor apoiaram Bolsonaro com todo entusiasmo , mas se a mudança da embaixada se concretizar,  terão muitos contratos cancelados.

Mas afinal, que interesses o Brasil pode ter mais em  Israel do que nos países árabes? E o que o Brasil compra de Israel? Compra quase nada. Talvez Bolsonaro esteja agora interessado nos drones que matam e na vinda pra cá de uma fábrica da Glock. Era dessa marca a pistola que os assaltantes tomaram dele no Rio, onde levaram também a moto e o capacete do  deputado.

Não me recordo de nenhum pr…

Democraticídio

. Tereza Cruvinel (Jornal do Brasil)


As advertências sobre o risco Bolsonaro para a democracia não são choro antecipado de perdedor, artifício de petistas desesperados para virar o jogo. O democraticídio virá, não apenas porque condiz com a natureza autoritária do deputado-capitão, mas porque, se eleito, não será capaz de dar outra resposta aos impasses que enfrentará. Os avisos vêm até dos que ajudaram a semear o antipetismo, um dos mais fortes nutrientes da candidatura favorita.
Outros, que poderiam falar mais alto, justificam a omissão com a bazófia de que, ainda que ele tente, nossas instituições terão força para evitar qualquer ruptura. Em 1964 também tínhamos instituições que pareciam funcionar, mas elas não apenas cederam ao primeiro movimento de tanques.
Elas ajudaram a executar a parte civil do golpe. Bolsonaro e seu entorno, a começar do vice troglodita, nunca esconderam o pendor autoritário e a saudade da ditadura, nos elogios da tortura e nas homenagens…

Deixem Deus fora disso

Seja o que Deus quiser? Não, não podemos invocar o nome de Deus para nos conformar com essa sujeirada toda. Depois de apoiar ostensivamente a campanha "tudo, menos o PT", a Globo chega ao final da campanha vendo o provável eleito de braços dados com sua maior concorrente, a Rede Record do bispo Macedo. E vislumbrando um acordo mais ali na frente, para minimizar o impacto da divisão das verbas publicitárias que sempre concentrou, a Globo minimizou a ausência de Bolsonaro no debate de quinta-feira. O mediador Willian Bonner limitou-se a informar, candidamente, que Bolsonaro não compareceu por ordem médica, sem questionar o circo armado em torno dessa ordem para poupar o mesmo do confronto , tete-a-tete , com seus concorrentes. Enquanto os demais candidatos debatiam, discutiam propostas ou simplesmente colocavam suas ideias e confrontavam suas biografias, Bolsonaro ganhava 27 minutos de propaganda na Rede Record, ferindo de morte a legislação eleitoral que naquele momento já n…