19 de março de 2011

Obama contraditório no reino do imperialismo yankee


Continuo simpático a Obama, mas devo confessar que ele anda desagradando Jimmy Carter, o presidente democrata que mais lutou contra a guerra fria e que, de fato, trabalhou muito pela paz no Oriente Médio.Obama já não tem mais o apoio da classe média americana e já não está mais no coração da comunidade negra, como estava no período eleitoral. Isso devido a sua postura dúbia com relação ao Iraque, Afeganistão e Colômbia, países onde Tio San faz laboratório da sua perversidade bélica.
Agora que Barack Obama está no Basil, dou um tempo nos meus acessos à página do Bourdoukan, que alimenta de maneira definitiva o meu antiamericanismo. Porém, vejo na internet um documentário de John Pilger, um dos mais importantes e respeitados jornalistas do mundo.Ele fala das guerras que os Estados Unidos alimentam e do cinismo que está por trás de cada sorriso do presidente negro, que tem avalisado sistematicamente as incursões de Israel contra os palestinos,sem contar a injeção de recursos absurdos para azeitar as máquinas de guerra espalhadas pelo mundo.
Ainda mantenho a esperança que Obama possa corrigir os rumos da sua política externa, até como forma de não deixar cair no desencanto os que se entusiasmam com um sorriso fácil, caso do sorriso dele e da sua Secretária de Estado, Hillary Clinton.
Sorriso por sorriso ainda fico com o que estampava Jimmy Carter, após os convescotes de Camp David com Manahi Begin e Anwar Sadat.

Nenhum comentário: