Pular para o conteúdo principal

Recobrar a minha memória afetiva não me faz perder a lucidez, a ponto de aplaudir a insensatez




“O chapéu é do Seu Chico;  Babá, lava o bebê;  A laranja é de Lili; O vovô bebe leite de vaca;  O titio arreia o cavalo; O João dorme com as galinhas”.
Isso é Caminho Suave, o livro em que os da minha geração aprenderam o b-a-bá , num processo que os educadores chamavam de “alfabetização por imagem” . Eu também dei ali os primeiros passos para a minha alfabetização com a querida e saudosa Tia Maninha, na Fazenda Canto, arredores de Pintadas ( então distrito de Mairi e hoje município). Mas lá se vão 60 e poucos. Os tempos eram outros, os valores eram outros, os costumes eram outros, os símbolos que norteavam o nosso imaginário eram outros. Nada a ver com os tempos atuais, embora quem passou pelos caminhos da Caminho Suave, certamente há de lembrar com saudade daquela  cartilha. Devo reconhecer que o assunto faz acender todas as luzes da minha memória afetiva.

O presidente Bolsonaro quer resgatar a Caminho Suave, ignorando  toda a evolução dos métodos educacionais da primeira e parte da segunda metade do  XX, entre os quais está o mais notável de todos, o Método Paulo Freire, de alfabetização de adultos. A partir de Freire, que até o mundo civilizado reverencia como um dos maiores educadores de odos os tempos,  muitos brasileiros  passaram a aprender, ainda que tardiamente,  o que é cidadania. Freire foi exilado pela ditadura militar, porque era um educador que  ensinava a pensar. Talvez por isso, o capitão e seu ministro troglodita, Abraham Weintraub, queiram varrê-lo do mapa, o que agride não apenas a memória do grande educador, mas agride sobretudo, a memória do  próprio país.



Comentários

Anônimo disse…
É um governo vergonhoso e ultrapassado e também miliciano, estamos perdidos.
João disse…
"Você nunca esquece". hehe.. que bom que o presidente não esqueceu as letras do alfabeto. IMPRECIONANTE. Imagino que milhões de pessoas alfabetizadas por tantos outros métodos diversos esquecem as letras né? Incluindo aí aquele método mundialmente renomado do PAULO FREIRE, que o presidente MINTO criticou só pra manter os apoiadores focados na "esquerda" e não nos problemas dele, sua família e seu governo. Não sei muito sobre alfabetização, mas o Mi(n)to sabe menos ainda. Ele pega um negócio de 50 anos atrás, dá um chute, vai na nostalgia que ele e alguns outros devem ter desse método. É tudo que ele consegue falar do assunto. Sabe quando você tem uma questão escrita numa prova, ou uma chamada oral, e tenta arriscar qualquer coisa minimamente relacionada ao assunto pra ver se cola? Ou quando uma pessoa tá numa roda de conversa, num bar por ex, e pra participar fala qq coisa do assunto que venha a cabeça? Isso é Bolsonaro em qualquer assunto.
Sem duvida o pior presidente da história do Brasil, vai vendo.
João disse…
"Você nunca esquece". hehe.. que bom que o presidente não esqueceu as letras do alfabeto. IMPRECIONANTE. Imagino que milhões de pessoas alfabetizadas por tantos outros métodos diversos esquecem as letras né? Incluindo aí aquele método mundialmente renomado do PAULO FREIRE, que o presidente MINTO criticou só pra manter os apoiadores focados na "esquerda" e não nos problemas dele, sua família e seu governo. Não sei muito sobre alfabetização, mas o Mi(n)to sabe menos ainda. Ele pega um negócio de 50 anos atrás, dá um chute, vai na nostalgia que ele e alguns outros devem ter desse método. É tudo que ele consegue falar do assunto. Sabe quando você tem uma questão escrita numa prova, ou uma chamada oral, e tenta arriscar qualquer coisa minimamente relacionada ao assunto pra ver se cola? Ou quando uma pessoa tá numa roda de conversa, num bar por ex, e pra participar fala qq coisa do assunto que venha a cabeça? Isso é Bolsonaro em qualquer assunto.
Hélio disse…
Se o mundo tivesse se rendido ao conservadorismo retrogrado de alguns saudosistas do passado, ainda estaríamos dominados pele império romando, graças ao progressismo a sociedade continua evoluindo, claro que com alguns lapsos de retrocessos, como nesse momento da história, mas acredito que logo a sociedade sairá deste estase e retomará o seu caminho natural de evolução, inclusive o Brasil.

"Os livros hoje em dia, como regra, são um montão de amontoado de muita coisa escrita. Tem que suavizar aquilo. Em falar em suavizar, estudei na cartilha 'Caminho Suave', você nunca esquece..." Jair Messias Bolsonaro. Esse trecho demonstra a prepotência, cinismo e a desfaçatez que só podem ser explicados por alguma patologia mental séria. Bolsonaro nunca aprendeu nada de realmente bom e, do pouco que poderia saber, já deve ter esquecido. O problema não é o método, mas sim a falta de apoio e de formação qualificada para os professores. A educação, no Brasil, nunca dependeu de cartilha, qualquer que fosse, mas sim dos professores, que são o verdadeiro meio de aprendizado. Por isso que deveriam ser muito mais valorizados em todos os sentidos, ao invés de receberem uma merreca de salário, e de agora ainda por cima serem intimidados e perseguidos por um governo criminoso.
Carlos disse…
Vamos regredir 400 anos em 4. Parabéns!
Décio disse…
Cansei da estupidez de quem apoia Bolsonaro, inclusive alguns amigos de décadas. Perdi inclusive a vontade de compartilhar, debater, tentar informar. Simplesmente NÃO adianta. Demência coletiva é o que se vê no Brasil, construída basicamente por preconceito + desinformação.
Impossível imaginar o que a história nos reserva, mas algumas hipóteses são aterradoras.
Hudson disse…
O Brasil virou o Planeta dos Macacos ao contrário pois qualquer um sabe que um macaco tem um Q.I. muito superior ao de um humano de ultra direita,que na verdade é apenas um humanoide primitivo.
Basta ver o comportamento e o vocabulário de Neandertais como Bolsonaro,Weintraub,Araújo,Damares,Salles,Heleno e Moro.
Renata disse…
Tome-se um país imaginário
e fictício, governado pelo trio Moe,Larry&Shemp.
Imaginou?
Pois a coisa aqui está pior.....muito pior..... incrivelmente pior.....
avassaladoramente P I O R...
Raimundo Nonato disse…
Bozo é psicopata igual o Moro, ao contrário da maioria dos psicopatas, Moro é uma figura antipática, arrogante, tem zero empatia. Muito provavelmente, sua carreira política não terá futuro, pois quanto mais se expor, mais perderá simpatizantes.

Postagens mais visitadas deste blog

Tal pai, tal filho?

Mera coincidência ?
--------- Um professor da UEM ia todo sábado pegar filmes em uma locadora da Avenida Morangueira. Certo dia, durante um período eleitoral, ele chegou no balcão e escolheu um monte de fitas. Quando o funcionário relacionava os filmes que seriam levados pelo professor para devolução na segunda-feira , chegou o dono da locadora, vestindo uma camiseta com a sigla PT em vermelho no peito. Enfurecido, o professor deixou as fitas no balcão, saiu bravo e mandou que cancelassem sua ficha que ali não voltaria mais. Acreditem, a história é verídica. Nome do professor: Dalto Moro (+), que aliás foi meu professor de Geografia no curso de Estudos Sociais na UEM. Dalto, muito bom na matéria que lecionava, diga-se de passagem, nutria um ódio inexplicável do PT e seu líder máximo. Aliás , o mesmo ódio que nutre seu filho Sérgio, que anos mais tarde acabou colocando Lula na cadeia.

Coisa de governador cagão

Incluir os estados na reforma da previdência é um esforço que só governadores medrosos fazem. Se o Brasil é uma federação e cada estado tem seu parlamento, qual o problema dos governadores proporem reformas próprias para as previdências estaduais e submeter seus projetos ao debate com os deputados estaduais?

A Ford fordeu o Brasil. Mas o presidente estava ocupado, tuitando

É inacreditável a inércia do governo brasileiro no caso do anunciado fechamento da fábrica da Ford em São Bernardo do Campo. Para entender a importância disso basta imaginar o inverso: a festa que os governantes estariam fazendo se a montadora, em lugar de fechar, estivesse abrindo uma fábrica. Mas não temos Ministro do Trabalho  para defender os 3 mil trabalhadores que, de boa-fé, fizeram um acordo em maio do ano passado para ter, entre outras vantagens, estabilidade no emprego. Também não temos ministro da Indústria e Comércio, que pressione a empresa pelos benefícios tributários que recebeu a fim de funcionar e crescer. Sequer temos um presidente disponível para falar com a alta direção da empresa, aqui e lá na matriz americana para reverter essa decisão que, noticia-se está ligada à intenção do CEO da empresa,  Jim Hackett  de reduzir ao máximo a empresa, acabando com os prejuízos e investindo onde há perspectiva de lucro. O presidente está ocupado, tuitando.
. Fernando Brito (Blog Tijo…