29 de abril de 2007

Do blog da Martha

A avenida Brasil (do blog Factorama, por Valter Dubiela)
A proposta de pista exclusiva para onibus sobre o canteiro central da Avenida Brasil, sem derrubar as árvores e sem eliminar nenhuma pista nos parece inviável por duas razões. A primeira é a impossibilidade física de se instalar duas pistas de 3 metros para os ônibus e mais uma faixa de 1,6 metros para os abrigos e árvores num canteiro que hoje é de apenas 4,6 metros. A execução das duas faixas exclusivas para ônibus obriga a diminuição da largura das outras três faixas existentes de cada lado do canteiro e, por consequência, a redução da velocidade dos veículos. A segunda é de ordem lógica. Não será possível agilizar o tráfego de ônibus com as canaletas mantendo a mesma quantidade de cruzamentos e sinaleiros. O fluxo de ônibus continuará com a mesma velocidade. Para que uma faixa exclusiva tenha efeito, ela deve ser realizada sobre uma via expressa, com poucos pontos de parada e utilizada preferencialmente por ônibus atendendo aos bairros mais distantes, pois é para esta população que o tempo de viagem é mais longo.
Um outro problema é a continuidade destas pistas exclusivas nas praças. A travessia pelo centro da rotatória, dividindo a praça em dois segmentos, instalando-se ai terminais ou pontos de parada obriga aos pedestres a acessar a rótula. Isto exigirá a instalação de sinaleiros tanto para os ônibus quanto para os pedestres para a travessia da rótula, o que reduzirá a fluidez do cruzamento dos veículos nestes pontos.

Meu comentário:

Na reunião na prefeitura quarta à noite, vimos uma reunião com pessoas (levadas por certo ônibus) para aplaudir o Secretário Guatassara Boeira. Foi ridículo o espetáculo que deve ser financiado por empresários ávidos para tirar uma casquinha dos recursos da prefeitura. Fim de gestão e os empresários ainda não levaram o bem bom da prefeitura. Vão matar a Avenida Brasil. Por que não fazem esta lambança na Avenida sem árvores, a Horácio Racanello. Porque, ouso dizer, esta é a Avenida dos ricos e para quê emporcalhar o lugar? A TCCC, empresa única de ônibus, do dono da GOL, irá fazer mais um GOL contra a cidade.
Matha Bellini

Concordo em gênero, número e grau com o texto acima, incluindo o comentário da Martha Bellini

28 de abril de 2007

Chefe da SEAB com dengue

Quem está de molho, abatido pela picada do mosquito transmissor é o agrônomo Renato Cardoso, chefe do núcleo regional da Secretaria da Agricultura. É difícil o maringaense que não conheça pelo menos duas pessoas que contraíram a doença. As evidências são de que a Secretaria de Saúde perdeu o controle . Vivemos mesmo uma epidemia. Como o trabalho preventivo não foi feito, agora a cidade toda tem que se mobilizar e partir para cima desse tal de Aedes Aegypti.

27 de abril de 2007

Duplicação

Acabei de chegar de Mandaguari, onde autoridades e lideranças comunitárias da região se reuniram para iniciar um grande movimento pela duplicação da BR-376 entre Mandaguari e Apucarana. Lá estavam, em nome do governo do Estado , o Secretário do Planejamento Enio Verri e o Coodrenador da Região Matropolitana de Maringá, João Ivo Caleffi. Já foi dado o start da mobilização popular e da busca de apoio político para o projeto.

Representates dos poderes executivo e legislativo de Mandaguari, Jandaia, Cambira e Apucarana , ficaram animados quando receberam uma informação do diretor regional do IAP, Paulino Mexia, que se fazia presente. Segundo Paulino, a duplicação entre Mandaguari e Jandaia deverá sair logo, pois faz parte do contrato de concessão. A Viapar tem pressa para executar a obra, pois teme a possibilidade de quebra de contrato, o que significa munição para o governo atirar contra o pedágio. A duplicacão, segundo Mexia, independe de recursos ou autorização do Estado, depende apenas do laudo de impacto ambiental que o IAP deverá emitir.

26 de abril de 2007

Chega de tudo bem!

A Penitenciária de Maringá tem sido, aos olhos do público externo, um exemplo de segurança absoluta e tranquilidade total. É reconhecida a competência do seu diretor, oficial aposentado da PM, coronel Rodrigues. Mas o mito da segurança anda seriamente comprometido com os inúmeros problemas que a unidade tem. Os agentes penitenciários sabem mais do que ninguém ,que o prédio tem tido manutenção precária e o quuadro de funcionários é insuificiente. Ficará ainda pior, quando os mais de 30 estagiários que se preparam alí para atuarem na nova penitenciária de Londrina, baterem em retirada. Houve um ligeiro ensaio de transferência dia desses, quando a direção da Penitenciária se antecipou à determinação que ainda iria demorar um pouco.Preocupado, o presidente do sindicato da categoria, Cleyton Agostinho, entrou em campo e, acompanhado de outros colegas de diretoria do SINDARSPEN , pediu socorro à sociedade civil organizada. Começou pela OAB , passou pela Coordenação da Região Metropolitana e hoje estará com o Conselho Municipal de Segurança, em reunião às 9h na ACIM. Os agentes parecem ter se inspirado na propaganda da Ford, chamando à atenção de quem de direito:"Coronel, chega de tudo bem!".

25 de abril de 2007

Assendino desafia o mosquito

Folclórico como sempre, o velho Assendino Santana, que já disputou duas eleições de prefeito em Maringá, passa ao lado de uma "mini-piscina" de água suja no Novo Centro e deita falação: "Esse negócio de dengue é conversa fiada. Isso é coisa pra laboratório vender remédio e médico faturar com sonsulta. Desafio a quem quiser pegar um monte desses mosquitos e colocar todos no meu quarto... eu fico lá várias horas pelado , pra ver se algum tem coragem de me picar!". O discurso chamou a atenção de alguns curiosos que passavam pelo local hoje ao meio dia, e pararam pra ver os equipamentos da TV Cultura, instalados no local para um ao vivo com o coordenador da Região Metropolitana, João Ivo Caleffi. Quando o ex-prefeito e a repórter Juliana Guzoni chegaram para os primeiros testes de câmera, Assendino já tinha batido asas.

24 de abril de 2007

Vai chamar a empresa

O Secretário dos Transportes do Paraná, Rogério Tizzot, gostou do documento produzido pelo coordenador da Região Metropolitana de Maringá, João Ivo Caleffi. A primeira pergunta que fez foi se o prefeito de Maringá estava apoiando a campanha pela integração da passagem de ônibus entre as linhas urbanas de Maringá e as intermunicipais de Sarandi e Paiçandu. Antes que João Ivo Caleffi respondesse, Tizzot começou a folhear o documento e viu logo o ofício assinado pelo prefeito Silvio barros II. Ficou surpreso com o peso dos apoiamentos, e disse que vai chamar imediatamente as empresas TCCC, Cidade Verde e Expresso Maringá (todas do mesmo grupo) para discutir a questão. João Ivo está animado, acha que a integração é questão de dias.

Emenda da canalhice

A adjetivação não é minha, é do governador Requião. É assim que ele se refere à emenda 3, vetada pelo presidente Lula mas que pode virar lei se o Congresso Nacional rejeitar o veto. As centrais sindicais estão mobilizando o país inteiro em defesa do veto. No Paraná , até as escolas estaduais páram nesta quarta-feira E o que é esta emenda 3? É um monte de coisa ruim para o trabalhador. Por exemplo: impede os fiscais do Ministério do Trabalho autuarem as empresas que cometeram irreguladidade na contratação de trabalhadores. O mais grave é que ela permite que o prestador de serviço seja transformado em pessoa juridica, para receber por trabalho feito,mas sem registro,sem qualquer garantia da CLT. A elite brasileira está vibrando com a possibilidade do Congresso derrubar o veto. A própria mídia se encarrega de distorcer a verdadeira finalidade da emenda 3, colocando os fiscais do Ministério do Trabalho como os vilões da relação capital x trabalho. Haja canalhice!

Aceitando a pecha

O Sismmar não foi nada incisivo na reação às demissões de servidores envolvidos na greve do ano passado. Parece conformado com o carimbo de baderneiro que o prefeito bateu na testa de cada um dos 28 demitidos. Na época, os cabeças do movimento se defenderam atacando, fazendo ver à sociedade local que o quebra-quebra teria começado de dentro para fora do gabinete. Na entrevista que deu agora a noite ao jornal local da RPC, o procurador jurídico do município , Laércio Fondazzi , disse de maneira enfática que a punição não tinha nada a ver com a greve, mas sim com a depredação do patrimônio público provocada pelos servidores. A resposta da presidente do sindicato e do advogado Avanilso , não foi suficientemente incisiva para se contrapor à fala do procurador. Será que a versão acabará se sobrepondo aos fatos?

Quem é o suplente?

Hoje de manhã na tradicional escola de governo o governador Roberto Requião bateu pra valer no senador Osmar Dias. Citando dados do Incra, disse que a fazenda de Osmar no Tocantins vale mais de 40 milhões de reais e que na campanha, o seu adversário disse ter pago apenas R$ 2,5 milhões. Irônico, Requião disse que fez uma oferta de comrpa ao senador, por R$ 3 milhões e mais um incrementado jipe 51 que ele gnhou de presnete do apresentador Ratinho.

Emendou perguntando se alguem sabia quem era o suplente do senador Osmar Dias. E insinuou que suplente não recebe voto e muitas vezes assume a cadeira temporariamente , como ocorreu agora com o suplente do senador Álvaro Dias. Aí perguntou para o secretário Ênio Verri quem é o senador por Maringá que acaba de assumir por quatro meses. "Ele teria ajudado a financiar a campanha de Álvaro?",indagou Requião a seu Secretário do Planejamento. Ênio respondeu com uma palavra: "Intensamente".

23 de abril de 2007

Integração avança

O coordenador da Região Metropolitana de Maringá, João Ivo Caleffi, estará nesta segunda-feira às 16 horas na Secretaria dos Transportes, em Curitiba, entregando ao secretário Rogério Tizzot, um documento com todos os apoios formais à sua luta pela integração da passagem de ônibus entre Maringá, Sarandi e Paiçandu. Enviaram ofício apoiando o pleito, entidades como OAB, Acim, Coordenação Sindical, Ordem dos Pastores , Amusep e instituições como a UEM e a Igreja Católica, por meio da Arquidiocese de Maringá , além dos poderes públicos das tres cidades - câmaras e prefeituras. O próprio prefeito Silvio Barros II assina o ofício. Na audiência com o Secretário Tizzot, João Ivo estará acompanhado dos prefeitos Cido Spada e Moacir de Oliveira.

21 de abril de 2007

Será que a Câmara terá juízo?

O Plano Diretor do Município de Maringá para os próximos 10 anos foi elaborado a partir de um amplo debate com a sociedade local na gestão do PT. Lembram-se do Congresso da Cidade? Ao submetê-lo a apreciação dos vereadores em 2005, a atual administração promoveu pequenas modificações , mas não alterou a essência, segundo me informou tempos atrás o competente vereador Humberto Henrique. Mas agora parece que querem mexer no texto para beneficiar o Aspen Park. A proposta de mudança, que vem - como sempre - em nome do progresso e da modernização da cidade, será apreciada pela Câmara, que ninguém pode prever se terá o devido juízo ou não. Lembremos que já tem um prédio particular liberado pela Sedu do Guatassara, que está sendo objeto de ação do Ministério Público. Motivo: o recuo estaria fora de padrões exigidos pelo Código de Posturas. Tanto isso é verdade, que o edifício, localizado ao lado do Correio, é objeto de ação do Ministério Público. Quanto a ampliação do shopping center, é preciso saber também se a nova obra terá a bênção da mãe Dinah. Já esqueceram dela?

Pedágio no aeroporto

Pode acreditar: na entrada do Aeroporto Silvio Name foi construída uma guarita, aonde o motorista pega um tique para ficar 15 minutos e pagar pelo tempo que permanecer a mais. Estou tentando levantar se o dinheiro do estacionamento pago vai para o município ou para uma empresa privada. A "praça de pedágio" foi construída em um local estratégico, que não dá opoção a quem não aceita pagar para deixar o carro. Na verdade , trata-se de uma imposição. Para não dizer exploração.

Do próprio Lukas Noca

"Lixo
Amanhã, quarta-feira, vai pra uma semana que os coletores de lixo não passam aqui no bairro. A lixeira tá quase torta de tanto sacos. Maior fedentina. Em contrapartida já recebemos duas cartinhas cobrando IPTU "atrasado" que já foram pagos antes da data do vencimento, nos meses de fevereiro e março.Essa administração é um lixo só".

Um passeio pela Casa do Noca

"Novo Paulo Francis
De leitor do Blog da Helena a respeito do dandi escroto que escreve naquelarevistinha semanal:Não tenho medo do próprio Diogo Mainardi, que considero covarde. O que está acontecendo é que boa parte dos jovens da classe média estão engolindo esse discursinho fascista do infeliz. Virou moda ser reacionário no Brasil, e isso dá medo. O que dá medo também é que esta revista Veja medíocre, vende como água, investindo em polêmica, fofoca e mentira. Como se não bastasse, ela abre espaço para este cretino integralista e isso vai se tornando uma coisa bacana, uma gracinha para alguns.O que dá medo é que parte desta classe média que o acha uma gracinha, começa a se identificar com esse discurso, justo em um momento em que a democracia está consolidada. Em uma de suas colunas antigas, no tempo em que ele não podia escrever contra o presidente (que na época era o FHC) o estúpido fez uma resenha sobre o livro "A hora da estrela", de Clarice Lispector.Lá por umas tantas, ele lamenta que o nosso "Apartheid" não funcione mais como antigamente, de modo que ele e sua classe social (ele já disse que é um dos arautos da classe alta) precisam conviver com pessoas como a personagem principal do livro, Macabéa, uma nordestina pobre e sem saúde, que vai tentar a vida no Rio de Janeiro como datilógrafa. Não é preocupante? Não é de dar medo?"

19 de abril de 2007

Quem amarra o guizo?

Nenhum prefeito no Brasil precisa passar o cargo ao vice para se ausentar quatro dias. A menos que saia do país. No caso específico de Maringá, a Lei Orgânica do Município garante ao chefe do executivo 15 dias fora da cidade, sem ter que deixar o interino na sua cadeira. Por isso , ninguém entendeu essa do prefeito Silvio Barros passar o cargo ao vice Roberto Pupim. Seria uma forma de dar mais uma chance ao colega de chapa? Uma forma de afagar o ego do substituto eventual?

Ainda que estivesse saindo para exames médicos, o que parece não ser o caso, o prefeito só deixaria o vice mesmo , se quisesse, o que é o caso. Mas há algo de muito estranho no reino da Dinamarca. Eis algumas hipóteses que uma ligeira leitura da situação levou um amigo analista a aventar:
1 - O prefeito teria antecipado o desfecho do caso dos servidores petistas que ele quer demitir, mas teme o desgaste político . Aí, por orientação do astuto irmão Ricardo , resolveu transferir para o vice Roberto Pupim o ônus da demissão coletiva.
2 - Seria uma forma de ir fazendo o vice pegar gosto pelo cargo para que , na hora H, ele desista de ser candidato a prefeito, possibilidade que enfraquece o desejo de reeleição da família Barros; 3 - diante da possibilidade de Pupim perceber a jogada e se recusar a assinar as demissões, Silvio daria um jeito de colocar o presidente da Câmara John Alves no cargo, por um dia que fosse. E aí, caberia a João, amarrar o guizo no pescoço do gato.

Saiu no blog da Marta Bellini

O drama de Dona Terezinha: as escoras da Escola Municipal João Gentilin

Cheguei agora da feira dos produtores de Maringá. Comendo tapioca encontrei a Dona Terezinha que vende pães e verduras na feira. É uma mulher trabalhadora e preocupada com a escola de seus filhos: a escola municipal João Gentilin na Estrada Pingüim; uma escola rural. Dona Terezinha já chamou a TV para denunciar o descaso com a educação das crianças nesta área rural. Faz 4 anos que a escola está “escorada”; está caindo. A prefeitura conhece a situação, mas de prédio escorado, a prefeitura só entende mesmo da velha rodoviária que renderá money a muitos. Já a escola está às moscas. As promessas de eleições são águas passadas. Quem se importa com crianças, filhas de pequenos produtores? Dona Terezinha reclama que seus filhos tiveram apenas 3 ou 4 aulas de matemática. Eles só têm aulas de história.... Não há professores na escola e quando ela reclama disso, a diretora se limita a rir (alguém explica isso?). Pelo relato de Dona Terezinha, a prefeitura não queria que a denúncia fosse ao ar pela TV. As mães querem conversar com a secretária da Educação. Não conseguem. Resta a elas irem ao Ministério Público efetuar a denúncia.

18 de abril de 2007

O chão vai tremer

Se nenhuma operação abafa abortar novamente o conteúdo dos documentos apreendidos em 94 na casa do bicheirto Castor de Andrade, o chão da república Brasil vai tremer. E quem prevê isso é ex-deputada Denise Fronsard, juíza aposentada que botou Castor na cadeia à época. Segundo ela, é surpreendente o número de políticos de todo o Brasil que recebiam propina do jogo do bicho. Já tem muita gente graúda no país inteiro com dor de barriga. O desarranjo intestinal coletivo promete.

A lista de Furnas é autêntica

Demorou mas saiu o laudo técnico da Polícia Federal sobre a lista de Furnas. Lembram dela? Era uma relação de 156 políticos que se beneficiaram de dinheiro público do sistema Furnas na campanha de 2002. A divulgação da lista deixou alguns líderes tucanos furiosos. Adivinhem porque? Tem muito tucano de bico grosso envolvido. Entre eles , o irritadíssimo deputado baiano Jutay Júnior, que chegou a espumar pelos cantos da boca quando tomou conuecimento do laudo. O escândalo da lista veio a lume no correr da campanha de 2006 , quando houve um grande esforço da fina flor do reacionarismo da política brasileira para desqualificar a tal lista. Diziam que tratava-se de um documento falso. Agora se sabe que a lista era autêntica,quentíssima.
Em tempo: naquela lista divulgada pela grande imprensa estava o nome do deputado maringaense Ricardo Barros.

Do blog Amigos do Presidente Lula

Quem fala o que quer…
Diogo Mainardi (argh!) foi condenado hoje a pagar 30 mil reais pela Justiça do Rio de Janeiro ao hoje ministro da Secretaria de Comunicação Social do Governo Federal, Franklin Martins, em processo por danos morais.O articulista de “Veja” (argh! argh!) falou o que quis do Franklin. Entre outras coisas, acusou o ex-comentarista de política da Globo de ter beneficiado parentes na contratação pelo serviço público e de ter participado da quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa - isso sem maiores preocupações de comprovar as acusações. Era a palavra dele contra a do Franklin.Os representantes da “mídia conservadora (e golpista)”,precisam se emendar.Veja, Folha, Estadão e Globo, nem tocaram no assunto.
Outro que está pedindo um processo, por calúnia, difamação e injúria é o Claudio Diogo Humberto MainardiO que o Cláudio Humberto bate no governo Lula não tá escrito em nenhum blog.

Na Assembléia

Está ocorrendo agora de manhã na Assembléia Legislativa do Esyado, um seminário sobre regióes metropolitanas do Paraná. A discução foi proposta pelo deputado petista Welter e estão la, além dos coordenadores das tres regiões metropolitanas e da sduas micros recém criadas, os secretários Ênio Verri (Planejamento) e Forte Neto ( Desenvolvimento Urbano).

Segunda-feira o coordenador da COMEM , João Ivo Caleffi ,volta a Curitiba , aonde apresentará pela manhã um compêndio sobre a luta pela integração da passagem de ônibus entre Maringá, Sarandi e Paiçandu. O documento conta com oficios de apoio à luta pela integração, de várias instituições regionais, como a OAB, Arquidiocese, UEM, Coordenação Sindical, Amusep, Câmara Municipais das tres cidades e também dos prefeitos Silvio Barros (Maringá) Cido Spada (Sarandi) e Moacir de Oliveira (Paiçandu). A integração significa o uso de uma só passagem para um segundo embarque em Maringá, para quem vem de Sarandi e Paiçandu.

17 de abril de 2007

Uma ótima notícia

Iniciado processo de tombamento da rodoviária
A Prefeitura Municipal de Maringá foi notificada hoje de que teve início o processo de tombamento do prédio da antiga Estação Rodoviária Américo Dias Ferraz. O processo será discutido através da Coordenadoria do Patrimônio Cultural/Conselho Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico do Paraná - Cepha -, ligado à Secretaira de Estado da Cultura, que já tombou o Maringá Bandeirantes Hotel há alguns anos.Com o início do processo de tombamento, cai por terra a mobilização programada para esta semana, inclusive a assembléia chamada pela nova síndica do prédio, para encontrar uma "solução definitiva" para o imbroglio.

Foi uma ótima notícia esta que li agora há pouco no blog do Rigon e que publico na íntegra neste espaço. Enfim, o bom senso está prevalecendo. Ainda que a iniciativa de preservar a rodoviária velha como patrimônio histórico tenha vindo de um ogranismo estadual.

Sábia observação

"Um patrimônio público identificado é visto com mais respeito". Do prefeito de Marialva Humberto Feltrin, na edição hoje ( terça-feira,17) de O Diário. Essa é uma verdade inquestionável. E o respeito com o bem público é maior quando os prédios são pintados com as cores predominantes da bandeira da cidade, no caso de Maringá, o vermelho e o amarelo.

16 de abril de 2007

Elementar meu caro watson!

Enredo de filme?
A informação chegou ao ouvido do presidente do PMDB, Odílio Balbinotti, já há algum tempo, mas agora teria sido confirmada por uma fonte muito confiável e próxima dos Barros: o deputado federal Ricardo Barros (PP) seria o grande responsável pela entrada de Edmar Arruda (ex-PPS) no partido. O objetivo seria acompanhar de perto a ação dos peemedebistas para as eleições de 2008 e, em especial, os passos de Balbinotti. Barros e Arruda teriam feito um acordo, que possuiria inclusive cláusulas informais bastante interessantes.Da mesma fonte vem a notícia, ainda, de que o discurso de Arruda no ato de sua filiação no PMDB faria parte do estratagema. No discurso, o ex-candidato a prefeito do PPS e que em 2004 apoiou Silvio Barros II, disse que se alinhava aos objetivos do PMDB de acabar com o domínio político do clã Barros em Maringá. Edmar Arruda ingressou no partido e integra a comissão executiva provisória do partido.Parece enredo de filme (o Oscar de melhor filme foi para "Os Infiltrados", inclusive), que tanto pode ter um fundo de verdade quanto pode ser uma estratégia para dinamitar uma eventual candidatura de Arruda a prefeito.

A nota acima saiu no blog do Rigon, que aliás, já tinha aventado esta hipótese . Desde o início eu também achei que a filiação de Edmar Arruda no PMDB não era obra do acaso.

15 de abril de 2007

Qualquer semelhança...

O fascismo tem como objetivo, a desumanidade ; como método, a supressão de direitos das minorias e como prática cotidiana, o desrespeito aos trabalhadores. É contumaz no uso excessivo da propaganda (subliminar ou direta) e sobretudo, na dissimulação. Qualquer semelhança com o que ocorre no nosso quintal seria mera coincidência?

14 de abril de 2007

Do blog do Sismmar

O que é tirania?Clodovil (Dep. Federal) fez uma pergunta ao plenário: o que é decoro parlamentar? Eu quero que alguém me responda: o que é tirania? Isto porque, ouço a todo instante a Administração dizer que “Maringá está Crescendo com Cidadania”. Um governo que massacra o trabalhador e persegue o servidor público municipal, tirando todos os seus direitos, até o de ter liberdade de expressão! Se isto é cidadania, gostaria de saber o que é Tirania???

Lá não tem o vermelho

Sou Maringaense de coração. No entanto, fico triste com muitas coisas erradas que vejo acontecer. Prédios públicos que passaram por reformas no ano de 2004 estão sendo reformados novamente pelo simples capricho de mudar de cor. Enquanto isso, nossa querida rodoviária velha há décadas está sem restauração, o Centro Social Urbano - CSU como será que está? Vai ser pintado? Sei lá!! Ali não tem o vermelho, a cor predominante da bandeira de Maringá.Reinaldo Vizigali CarraraServidor Público Municipal
Lá não tem o vermelho...Sou Maringaense de coração. No entanto, fico triste com muitas coisas erradas que vejo acontecer. Prédios públicos que passaram por reformas no ano de 2004 estão sendo reformados novamente pelo simples capricho de mudar de cor. Enquanto isso, nossa querida rodoviária velha há décadas está sem restauração, o Centro Social Urbano - CSU como será que está? Vai ser pintado? Sei lá!! Ali não tem o vermelho, a cor predominante da bandeira de Maringá.
Reinaldo Vizigali Carrara , servidor público municipal

13 de abril de 2007

Exterminadores do passado

Ouvi uma entrevista ( via telefone) do Guatassara Boeira hoje no Band Cidade sobre a rodoviária velha. Estimulado pela posição favorável à demolição, manifestada pelo apresentador Léo Júnior, o supersecretário deixou claro que o prédio vai abaixo, pelo bem da modernidade e principalmente, da supervalorização imobiliária do filé mignon chamado Novo Centro. Com esta posição, a administração municipal deixa claro de que lado está. Não está certamente do lado da população, nem dos comerciantes do local e muito menos da memória dessa cidade sem memória. O prédio oferece riscos, isso todo mundo sabe, embora eu tenha dúvidas de que o perigo de desabamento seja tão grande assim. Guatassara enfatizou, sem nenhum constrangimento, que o assunto está sendo tratado com responsabilidade e discutido democraticamente com a comunidade local.
Não é preciso ser arquiteto para saber que a rodoviária velha só quebra a harmonia de uma pretensa arquitetura moderna se ficar como está, sem restauração. Os argumentos práticos e sintomáticos do braço direito do prefeito Silvio Barros II , são preocupantes. É lamentável que a sociedade maringaense esteja tão passiva diante de tanta insensibilidade dos nossos exterminadores do passado.

Coleira só é pouco

São frequentes os ataques de cães de raça contra pesoas, nas ruas e pistas de caminhada. Dia desses um homem de pouco mais de 50 anos foi atacado por um pitt bull no Parque das Gravíleas, em Maringá. O cão fez estrago numa das pernas da vítima. Há uma semana, dei de cara com um rotwailler conduzido por um rapazola . Ele até que fez um esforço danado para segurar o animal. Felizmente conseguiu. Fiquei assustado, suando frio e nem tive voz para falar poucas e boas pro menino irresponsável. Mas não faltou quem falasse .
É preciso que a Prefeitura passe imediatamente a exigir o cumprimento do Código de Saúde e da lei do Beto Brescancin, que exigem fucinheira e coleira com estrangulador nos cães levados ao passeio.
Vale lembrar aos irresponsáveis que colocam a vida de transeuntes em risco com seus cachorros de raça, que o ataque do cão coloca o dono na mira do código penal. Se um cachorro mata alguém por causa da negligência do proprietário do animal, este pode ser enquadrado no crime culposo. Um advogado amigo meu lembra , a propósito, que há casos de cães de raça usados pelos donos para matar desafetos. Aí, crime doloso neles".

Ratos II

Encontro um leitor do blog numa fila de banco e ele comenta comigo:"Li a nota sobre a invasão de ratos na cidade e comentando com vizinhos, descobri pelo menos três que já se depararam com o roedor na cozinha". A conversa chamou a atenção de outras pessoas que entraram na conversa. Quase todos disseram conhecer o problema. Quem não viu um rato em casa, pelo menos conhece alguém que encontrou. Um senhor, que mora em bairro nobre da cidade, disse ter achado uma ratazana na churrasqueira. "Bem em frente a minha residência tem um bueiro. Eu mesmo tratei de limpar a boca de lobo, mas sei que a galeria naquela rua está cheia de sujeira. E aí, claro, os ratos fazem a festa", concluiu, criticando o descaso de quem tem o dever de manter a cidade limpa.

O perigoso avanço da cana

O bio combustível é importante para o desenvolvimento sustentável do Brasil, mas não dá para dormir tranquilo com a santificação dos usineiros feita pelo presidente Lula. Essa do presidente pegou bem na boca do estômago. Mas também não seria inteligente satanizar os grande produtores de açúcar e de álcool. O setor tem uma importância vital para a nossa economia. Porém é preciso ir com calma nessa questão do álcool e do etanol. Não podemos transformar nosso território num imenso canavial. No Paraná, o governador Requião determinou que a SEAB providencie um novo zoneamento agrícola para o Estado. O objetivo é evitar que na esteira dessa euforia do etanol a cana de açúcar avance sobre áreas de produção de alimentos. Requião e Pessuti querem valorizar mais a agricultura familiar, porque é alí que se produz a comida de milhões de paranaenses. No novo zoneamento, a cana terá que buscar espaço nas pastagens, de onde o boi está se retirando aos poucos para os espaços de confinamento. A diversificação agrícola, com prioridade absoluta para a produçao de alimentos, é questão de juízo dos governantes.
Em tempo: alguns municípios do arenito caiuá, caso de Nova Esperança e Alto Paraná, estão iniciando programas de incentivo à seringueira. Isso mesmo, seringueira. Um sitiante de nova Esperança tem centenas de pés e hoje o sangramento das árvores lhe dá uma renda de quase 5 mil reais por mes. É o Noroeste do Paraná entrando no ciclo da borracha. O látex extraído aqui é comercializado em São Paulo. Mais um motivo para que o Paraná não se transforme num oásis apenas para o setor sucro-alcoleiro..

12 de abril de 2007

Suspeita de um filiado

Um peemedebista antigo, que não se conforma com a falta de quadros para emplacar um prefeito desde Said Ferreira, suspeita que a filiação de Edmar Arruda seria uma estratégia "barrista" para inviabilizar uma candidatura forte a prefeito em 2008, capaz de derrotar a família Barros. Edmar teria ido para ser candidao de confiança do grupo, uma espécie de plano B. Faz sentido. E como faz!

Ratos

Informação que me foi passada hoje por um ambientalista: está ocorrendo uma invasão de ratos na cidade. Não só na periferia, mas também no centro. Disse-me ele que várias pessoas já se depararam com rato dentro de casa. Ele acha que isso ocorre por causa da sujeira das ruas , com acúmulo de lixo e principalmente, pela falta de limpesa das galerias de águas pluviais.As galerias nunca estiveram tão obstruídas como agora. Enquanto isso, o "tatu", equipamento adquirido na gestão do PT para fazer o serviço com rapidez e eficiência está encostada. Faz parte da frota de veículos da Prefeitura levada deliberadamente ao sucateamento.

11 de abril de 2007

Lei seca a seco

Era isso o que pretendia a vereadora Marly, ou seja, aprovar a lei seca sem discuti-la exaustivamente com a sociedade, por meio,por exemplo, de audiências públicas. Na minha maneira de ver, a lei seca não resolve, apenas mascara o problema da violência, que tem origem nas desigualdades sociais que estamos cansados de ver , no crescimento assustador do crime organizado, e consequentemente, na disseminação da droga e na incapacidade do Estado de enfrentar os criminosos com ações efetivas de repressão. Achar que fechando os bares às 11 da noite vai minimizar o problema, é pensar como o marido traído que prefere se desfazer do sofá da sala...
O burco da violência é bem mais embaixo. Há que se discutir tambem a falta de programas de inclusão social, de uma escola de qualidade e principalmente, discutir o descaminho que tomaram valores fundamentais da sociedade, caso dos valores éticos .

Um erro e uma contradição

Na reunião do Codem segunda-feira, o prefeito Silvio Barros II já chegou na sala desqualificando os estudos sobre o Contorno Norte, apresentados pelo engenheiro Carlos Valêncio, o Kuka. Segundo o prefeito, tudo o que havia sido mostrado ali estava desatualizado e que as negociações com o Denit caminham em outras direções. Fez referências imprecisas ao projeto de rebaixamento da linha férrea, fruto de convênio assinado em 2003 pelo prefeito João Ivo. Disse que o projeto prevê tres viadutos , quando na verdade são sete. Esta foi a informação errada. A contradição veio quando falou da dívida do municipio com a Caixa Econômica, que está hoje em 150 milhões de reais. Ele disse que os empréstimos que geraram esta pendência foram contraídos na administração Jairo Gianoto. Em seguida criticou o ex-prefeito Said Ferreira, que foi quem teria assinado o termo de reconhecimento do montante. Ora, Said antecedeu Jairo e sucedeu Ricardo Barros, que aliás tem muito a ver também com essa bola de neve, que ameaça inviabilizar as futuras administrações municipais.
Por falar em dívida , o prefeito está quase conseguindo um empréstimo do BID, da ordem de 25 milhões de reais. Quem será que vai pagar a conta? Se ele nao se reeleger em 2008 e voltar à Prefeitura em 2013, a quem culpará por este endividamento de agora?

10 de abril de 2007

Alarmante

As autoridades sanitárias locais ainda não admitem a existência de epidemia de dengue em Maringá, mas o fato é que a coisa está feia,muito feia. Fala-se em 700 casos,mas acho que tem muito mais. Vários conhecidos meus, que moram na região Sul (Borba Gato,por exemplo) estão com dengue. Projetando os casos que conheço para a cidade toda, meu Deus!
Agora,como pôde a administração pública deixar chegar a este ponto? Houve negligência no trabalho preventivo de combate ao mosquito, isto é inegável. O pior é que continuam mascarando a realidade, o que torna a situação ainda mais grave.

6 de abril de 2007

A igreja de Puebla

Apesar do pretenso conservadorismo do Papa Bento , a Igreja Católica , pelo menos a paróquia que frequento, deu demonstração clara nas cerimônias de adoração ao Senhor Morto nesta Sexta-feira Santa, de que está centrada na Carta de Puebla. Na representação da Via Sacra ,críticas fundadas à exploração do homem pelo homem. Entre uma estação e outra da caminhada de Cristo rumo ao calvário, textos de condenação explícita à exploração do trabalho infantil, à corrupção, à ganância, ao tráfico de drogas, ao capitalismo selvagem. "Senhor, como fizeram com os pobres, o despiram e ficaram com suas vestes", leu uma mocinha, com voz embargada.
Sempre achei que a verdadeira igreja de Deus não pode silenciar diante das injustiças sociais, da violência, da corrupção, da impunidade. A teologia da libertação, que não deve ser confundida com ideologia da esquerdização, tem que estar sempre presente na ação pastoral . Os momentos de reflexão provocados na Semana Santa pela Igreja Católica, padres e comunidade leiga à frente, é de extrema importância para o fortalecimento da verdadeira democracia . E, embora alguém já tenha dito que democracia não tem tradução, é como o Ó, que é Ó mesmo , temos que ter a compreensão clara de que democracia não é apenas o direito das pessoas irem e virem e expressarem livremente o que pensam. É também isso, mas é principalmente, o direito que todo o cidadão tem de ter a uma vida digna.

Eeixo Norte

A sede da Coordenação da Região Metropolitana de Londrina foi inaugurada ontem de manhã pelo vice-governador Orlando Pessuti. É um espaço agradável, funcional, nos fundos do Paraná Cidade. Como será o de Maringá, que está sendo reformado e deve ficar pronto até o final do mês. O governador daria posse à ex-deputada Elza Correa, mas não pôde estar presente por um problema de saúde. O vice Pessuti, que o representou, passou mal na solenidade, teve queda de pressão e foi foi atendido alí mesmo por uma equipe médica. Mas se recuperou a tempo discursar e chamar o coordenador da Região Metropolitana de Maringá para a frente e vaticinar:"Agora o velho sonho do Metronor - Metrópole Linear do Norte do Paraná, vai se concretizar. A Elza e o João Ivo terão papel fundamental no processo de integração do eito Eixo Norte". A posse política de João Ivo Caleffi, provavelmente com a presença do governador Roberto Requião e do vice Orlando Pessuti, o Pessutão, deverá ocorrer na primeira quizena de maio.

Errata

Na nota sobre endividamento, leia-se 2003 onde está 1003.

5 de abril de 2007

Endividamento

Os técnicos do BID estiveram dia desses em Curitiba analisando pedidos de empréstimo de vários municípios paranaenses, inclusive Maringá. O empréstimo para a nossa cidade é da ordem de R$ 25 milhões. Dá pra fazer muita coisa, mas certamente, Maringá terá sua dívida levada para a estratosfera. Estou colocando esta questão, porque o prefeito Silvio barros II vive se queixando da dívida gigantesca da Prefeitura, dívida que começado lá atrás, inclusive na administração do seu irmão Ricardo, como é o caso da dívida com o INSS, parcelada na gestão do PT. A bem da verdade , na história de Maringá duas administrações só pagaram dívidas e não contraíram um único empréstimo bancário: a do Dr. Luiz Moreira de Carvalho e a do PT (José Cláudio/João Ivo).
Em tempo: os R$ 36 milhões que João Ivo trouxe para as obras do Novo Centro no finalzinho de 2003, foi dinheiro a fundo perdido, ou seja, que o município não terá que pagar. Aquela grana toda estava parada lá em Brasília e segundo denúncia velada do saudoso Zé Cláudio no início da gestão petista, tinha sua liberação travada por um certo deputado aquí da casa. O Zé já havia falecido quando seu substituto, o vice João Ivo , foi chamado a Brasília no último dia de 1003 para assinar o convênio. Se isto não tivesse acontecido, os R$ 36 milhões seriam realocados no Polo Petroquímico de Camaçari.

Os caminhos da negligência

A propósito da nota emitida pelo PT sobre a epidemia de dengue em Maringá, vale ressaltar , até como forma de advertência, o verdadeiro desmonte a que a atual administração submeteu a saúde pública. Desestruturar o PSF foi uma irresponsabilidade inaceitável; desarticular as equipes de agentes sanitários (ou ambientais), uma
imprudencia criminosa; desmontar o programa parto humanizado, uma demonstração clara de desrespeito à população. Inúmeras outras ações danosas ao sistema único de saúde foram desencadeadas nos últimos tres anos, caso da desfiguração das policlínicas, criadas com toda estrutura necessária para consultas e atendimentos especializados.
Para piorar a situação, a Administração Municipal anuncia meta de economia de pelo menos 15 milhões de reais para este ano no orçamento , com reflexo imadiato na saúde e nos programas sociais. Pior ainda é a disposição do prefeito de remanejar verbas de setores vitais para o embelezamento da cídade. Só a saúde deverá perder cerca de um milhão, que por tudo o que vem sendo noticiado, deverá sair do Hospital Municipal para obras e serviços nos parques, praças e jardins. Este cuidado é importante, mas a plástica da cidade não pode estar à frente da saúde na hierarquização das prioridades.
A nota do PT até que é muito branda ao sustentar que a epidemia de dengue em Maringá é fruto da negligência reconhecida publicamente pelo Secretário Municipal da Saúde. Falta , porém, uma atuação mais incisiva do próprio PT e de outras lideranças políticas que se contrapõem, ou pelo menos dizem se contrapor, ao modo Barros de governar.

3 de abril de 2007

O prefeito e sua máxima culpa

Maringá é o segundo município do Estado em casos de dengue. A administração municipal tem sua parcela de culpa, que não é pequena. Negligenciou na ação preventiva dos agentes de saúde, que praticamente saíram de circulação desde que começou o processo de desmontagem de programas que a Prefeitura mantinha com o Ministério da Saúde. Durante muito tempo os agentes do PSF, que também acabou desmantelado e voltou à meia-bomba, foram às ruas cuidar de água parada, quando sua função era o atendimento domiciliar das pessoas cadastradas. Sem estrutura e sobrecarregados, os agentes do Programa Saúde da Família não conseguiram realizar um trabalho consistente de combate prévio ao mosquito. Afinal, não era função deles.

Uma vez atingida por um surto, que depois ganhou status de epidemia de dengue, Maringá foi à luta para acabar com o Aeds Aegypti. Não digo que já era tarde, porque neste caso, antes tarde do que nunca. Mas de qualquer forma, deixar a situação chegar aonde chegou foi uma irresponbsabilidade sem precedentes. Até porque qualquer criança sabe que no perído de chuvas (de dezembro em diante) água se acumula em pneus velhos, garrafas e outros vasilhames, sem que a população tome a iniciativa de fazer a sua parte. Cabe então ao Poder Público, promover ações preventivas, que são permanentes. É pra isso que existem os programas própiros do Governo Federal. Mas a condução dos mesmos depente fundamentalmente do agente público municipal. E para que tudo dê certo, precisa de competência, vontade política e compromisso social, que se afirmam através de ações concretas . Não se cresce com cidadania apenas na mídia.