10 de novembro de 2010

Padre não aceitou homenagem. Pelé nem respondeu

Parabéns ao Padre Julinho

Foi arquivado na sessão de ontem, da Câmara de Maringá, projeto do Vereador Heine Macieira que ortogaria título de cidadão benemérito ao Padre Julinho. Segundo o autor, o projeto foi um pedido de ex Vereador Antenor Sanches, mas ao entrar em contato com o homenageado este disse que não aceitaria este tipo de homenagem.
Minha opinião: Parabéns ao Padre Julinho. A concessão deste título está banalizada em Maringá e serve, na maioria das vezes, ao interesse dos Vereadores. Outro dia ouvi o Vereador Luiz do Postinho cobrando do Conselheiro Tutelar Vandre Fernando que apresentasse o seu currículo para que ele preparasse do projeto de homenagem. O que é um cidadão benemérito? Alguém que trabalha de graça? Entendo que os verdadeiros beneméritos não cobram , nem aceitam homenagens.

Akino Maringá, colaborador

Meu comentário: concordo em parte com o Akino. Mas acho que o verdadeiro benemérito, como é o caso do padre Julinho, deveria aceitar a homenagem sim, mas desde que o poder que a concede não haja banalizado tanto os títulos, que constitucionalmente lhes cabe conceder. A Câmara de Maringá, ao longo de sua história, concedeu títulos de cidadania honorária e benemérita a pessoas realmente merecedoras. Mas também homenageou gente que não tem nada a ver, que não mereceria, sequer, um voto de louvor.Nem vou citar nomes, porque boa parte até já morreu e aquí na terra brasílis, falecido não tem defeito, ao contrário da Argentina, como mostra a capa do Página 12 (post anterior).
Só como ilustração: no passado, a Câmara de Maringá aprovou título de cidadão honorário para Pelé mas, comunicado por ofício, o rei do futebol nem tomou conhecimento.

Nenhum comentário: