11 de outubro de 2010

Debate quente, mas Dilma não lançou mão da pimenta


Acabou agora há pouco o primeiro debate do segundo turno entre Serra e Dilma. Foi um debate quente, sem nenhuma amarra. Dilma surpreendeu, foi muito firme, irônica às vezes e bem no estilo bateu, levou. Serra também teve bom desempenho, mas na confrontação dos governos Lula x FHC, levou um banho. Dilma se referiu a uma acusação da esposa de Serra, que teria dito que ela, Dilma, era contra a vida , era a favor da morte de crianças. Um absurdo completo, o que mostra a que ponto chegou o nível de alimentação do preconceito social. Sim, porque no fundo, este é um discurso da elite brasilera, que mesmo sendo beneficiada pela generosidade do governo Lula com os ricos, não se conforma com o fato do país de levado à presidência da república um operário. Até acho que o preconceito manifestado agora nem é tanto contra a figura de Dilma, que apesar da sua história de militante da esquerda guerrilheira, tem postura fidalga. É ainda, resquício do inconformismo com Lula e o PT, que mudou muito (pra pior) quando chegou ao poder.
Com relação a privatização, tema predominante do debate de hoje, Dilma foi bem, mas fustigada permanentemente pelo opositor, ela teria deixado Serra com cara de "criança cagada" se trouxesse à tona o conteúdo do livro sobre os por~es da privataria, de Amaury Ribeiro Júnior. O livro, a ser lançado no início do ano que vem, mostra os escândalos do processo de privatização do governo FHC, a dinheirama fruto disso que foi parar em paraísos fiscais e fala do envolvimento da filha de Serra com a irmão do banqueiro condenado Daniel Dantas.
Mas accho que o tema privatização deverá dominar futuros debates e Dilma terá oportunidade de colocar os fatos narrados no livro e já disponibilizado em resenhas por alguns blogs e sites e também pela revista Carta Capital.

Nenhum comentário: