Pular para o conteúdo principal

Não tem mais choro e nem vela, o salário mínimo de um professor é desde hoje R$ 1.184,14

Enfim, o piso nacional do professor vale para todo o país, inclusive para o Paraná, um dos dos cinco estados que não aceitavam pagar salário base de R$ 1.187,14 para professores da educação básica da rede pública. Até os municípios devem respeitar este piso. Os que não dispõem de orçamento para cobrir suas folhas, terão complementações do MEC, que só este ano deverá liberar R$ 1 bilhão de reais.
Não tem choro, nem vela, o novo salário mínimo do professor tornou-se lei nacional a partir de hoje, quando o Supremo Tribunal Federal rejeitou ações de inconstitucionalidade da lei, impetrada pelo Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Ceará.

Comentários

Prof. Luiz Gonzaga disse…
Até que emfim, embora continue sendo uma miséria, tratando-se da remuneração de quem educa ou educará nossos filhos.Penso que devríamos ter vergonha da remuneração que recebem os professores em nosso País. E depois vem o requião, falar em carta de Puebla e contra o piso nacional de salários para os professores. pense nisto, caso ele ainda resolva, ser acandidato a alguma coisa.

Postagens mais visitadas deste blog

Eudes venceu a Covid e está em casa. Parabéns, grande santista!

O Eudes Januário, ex-secretário municipal do Meio Ambiente (gestão Zé Cláudio/João Ivo) ficou 51 dias na UTI do Hospital Municipal com a Covid 19. Foi entubado e passou por momentos difíceis. Hoje de manhã ele recebeu alta e já está em casa com a família. Venceu o coronavírus, o grande santista Eudes.

Tal pai, tal filho?

Mera coincidência ?
--------- Um professor da UEM ia todo sábado pegar filmes em uma locadora da Avenida Morangueira. Certo dia, durante um período eleitoral, ele chegou no balcão e escolheu um monte de fitas. Quando o funcionário relacionava os filmes que seriam levados pelo professor para devolução na segunda-feira , chegou o dono da locadora, vestindo uma camiseta com a sigla PT em vermelho no peito. Enfurecido, o professor deixou as fitas no balcão, saiu bravo e mandou que cancelassem sua ficha que ali não voltaria mais. Acreditem, a história é verídica. Nome do professor: Dalto Moro (+), que aliás foi meu professor de Geografia no curso de Estudos Sociais na UEM. Dalto, muito bom na matéria que lecionava, diga-se de passagem, nutria um ódio inexplicável do PT e seu líder máximo. Aliás , o mesmo ódio que nutre seu filho Sérgio, que anos mais tarde acabou colocando Lula na cadeia.

A filósofa e psicanalista Viviane Mozé vê Bolsonaro como referência do mal pelos próximos 50 anos, pelo menos

“O coronavírus impossibilita que Bolsonaro continue escondendo os delitos cometidos por ele e sua família, de acordo com a psicanalista. "Eu não sei se ele se infectou ou não, mas a crise do coronavírus impossibilitou, felizmente, esse absurdo que se chama Bolsonaro. É um governo criminoso, é uma família criminosa, eles vão sair desse governo diretamente para a penitenciária por crime comum, não é por corrupção que eles serão presos, serão presos por assassinato. Eles estão envolvidos com coisas que todo mundo está cansado de saber, só que como eles estão no governo eles manipulam o sistema, então é muito dificíl prender, mas o coronavírus expôs uma face do Bolsonaro que realmente impossibilita qualquer coisa”, disse. Ela cravou que Bolsonaro será visto como referência do mal nos próximos anos e que ele impossibilitou uma eventual volta da extrema direita ao poder. “Um dirigente que põe o seu povo a se contaminar não só perderá seu espaço, ele vai ser referência do mal para o rest…