5 de dezembro de 2011

O político Sócrates

Giancarlo De Sisti, ex-treinador da Fiorentina, numa longa reportagem do jornal italiano Gazzeta dello Sport sobre Sócrates, disse que o Doutor era um jogador diferente dos demais pela sua cultura e seu interesse por política. Segundo De Sisti, um dia ele perguntou ao Sócrates: “Você está lendo o que os jornais escrevem sobre você?”. Sócrates teria respondido: “Sim, eu leio os jornais, mas somente as páginas de política, a parte esportiva não me interessa”. Sócrates ficou na Fiorentina apenas um ano e voltou ao Brasil. Seus conflitos com Daniel Passarella teriam dificultado sua permanência no clube italiano. De Sisti disse que no vestiário tinha sempre um confronto entre Brasil e Argentina.

. Antôno Carlos Moretti

Um comentário:

Anônimo disse...

Messias,

por muito tempo, vigorou a versão de que Passarella teria sido um obstáculo à permanência de Socrates na Fiorentina. Não foi bem assim. Quando Passarella foi técnico do Corinthians, a história veio à tona. De viva voz, Sócrates disse que suas relações com Daniel ( ele usou o primeiro nome em vez do sobrenome) tinham sido muito boas.

reginaldo dias